Dia do Padeiro: conheça a história do igarapeense que exerce seus dotes culinários em Portugal

0
168
Padeiro profissional desde os 14 anos, Willian Franco aprendeu o ofício na Assecig. Foto: Arquivo pessoal

Todas as profissões têm seu valor e merecem ser respeitadas por completarem a vida e o cotidiano das pessoas. Hoje, 8 de julho, Dia do Padeiro, a história é de Willian de Oliveira Franco, padeiro profissional desde os 14 anos de idade, nascido e criado em Igarapé. Em uma nova fase de sua vida, Willian mudou-se para Portugal, na cidade de Sagres, onde há quase dois anos continua trabalhando na produção de deliciosas quitandas, em especial a confeitaria.  

Sobre sua profissão de padeiro, a qual exerce há 18 anos, Willian conta que tudo começou na Associação Educativa e Cultural de Igarapé (Assecig), com o professor carinhosamente chamado de Geraldinho. Hoje, com 35 anos, o cozinheiro relembra com orgulho a sua trajetória. “Já fiz entregas de bicicletas nas portas casas. Acordava 4 da manhã pra assar os pães que todos compravam pela manhã. Padeiro é uma profissão essencial. Enquanto todos dormem, nós trabalhamos para melhor servi-los”, conta.

Em Portugal, Willian trabalha dentro de uma padaria. E o dia começa cedo, por volta das 0h. “Sou padeiro, confeiteiro e salgadeiro. Trabalho dentro da padaria exercendo a profissão de confeiteiro. Além de pães, faço bolos, pizzas, salgados e doces. Amo minha profissão. Adoro mexer com alimentos”.

Perguntado sobre o que mais gosta na profissão, Willian diz que é receber reconhecimento pelo seu trabalho. “A melhor parte é ver as pessoas elogiarem o meu trabalho. Faço por amor e receber elogios é tudo de bom”.