Ministério da Saúde recomenda que vacinação de adolescentes sem comorbidades seja suspensa

0
440
São Joaquim de Bicas já anunciou a suspenção na vacinação deste público. Foto: Getulio Moreira/RP

Na manhã desta quinta-feira (16), o Ministério da Saúde enviou uma nota técnica a todos os municípios brasileiros mudando a recomendação de vacinar os adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades, contra a covid-19.

Segundo o documento, a imunização deste público esta liberada somente para as pessoas que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privadas de liberdade.

A Prefeitura de São Joaquim de Bicas, uma das primeiras a iniciar a vacinação de adolescentes na Região Metropolitana de BH, já informou que suspendeu a imunização deste público nesta quinta-feira (16).

A Agência Nacional de Vigilâcia Sanitária (Anvisa) autorizou o uso  da Pfizer em todos os adolescentes com idades acima de 12 anos, independente de comorbidade, mas o Ministério da Saúde recuou com a justificativa da seguinte nota:

A Organização Mundial de Saúde não recomenda a imunização de criança e adolescente, com ou sem comorbidades;

A maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela COVID-19 apresentam evolução benigna, apresentando-se assintomáticos ou oligossintomáticos;

Somente um imunizante foi avaliado em ECR;

Os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos;

Apesar dos eventos adversos graves decorrentes da vacinação serem raros, sobretudo a ocorrência de miocardite (16 casos a cada 1.000.000 de pessoas que recebem duas doses da vacina);

Redução na média móvel de casos e óbitos (queda de 60% no número de casos e queda de mais de 58% no número de óbitos por covid-19 nos últimos 60 dias) com melhora do cenário epidemiológico.