Terça-feira, 11/05/2021

Gerais

Igarapé: Ministério Público instaura inquérito para apurar perda de vacinas

A pane elétrica causou a perda de 229 doses que não têm data para serem repostas. Foto: Secom/Igarapé

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) instaurou um inquérito civil para apurar a perda de vacinas contra a Covid-19 em Igarapé. A pane elétrica causou a perda de 229 doses que não têm data para serem repostas.

Segundo informações divulgadas pela prefeitura, a temperatura do equipamento marcava 36ºC, enquanto o necessário é de 2ºC a 8ºC para a CoronaVac/Butantan.

Preocupação

Os 77 profissionais de saúde que deveriam receber a segunda dose da vacina a partir desta terça-feira (16) podem ser prejudicados. De acordo com o professor da UFMG que coordenou as pesquisas da CoronaVac em Minas Gerais, Mauro Teixeira, o ideal é que a segunda dose da vacina seja aplicada entre duas e quatro semanas após a primeira. O prazo pode ser ampliado em, no máximo, mais duas semanas. Caso contrário, a vacina pode perder o efeito. As informações são do G1.

Deixe um comentário

RUA MIGUEL HENRIQUES DA SILVA, Nº4, CENTRO, IGARAPÉ-MG


CONTATO: (31) 9 9858-1002

%d blogueiros gostam disto: