Guto Resende busca ajuda do Estado para impedir construção de APAC na cidade

0
139
Uma reunião pública está marcada para terça-feira (22), às 14h, no auditório do Ceci.

São Joaquim de Bicas, emancipado à apenas 15 anos, tem, segundo o IBGE, 31.600 moradores. Mesmo sendo uma cidade pequena, abriga três complexos prisionais, os presídios Bicas I e II e a Penitenciária Jason Albergaria. Agora, o prefeito Guto Resende, com o apoio da população, luta contra a implantação de uma Associação de Proteção e Assistência aos Condenados – APAC.

A APAC é uma entidade civil de direito privado, dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. O prefeito, que é completamente contra a sua implantação, ressaltou que São Joaquim de Bicas tornou-se o município com a segunda maior população carcerária de Minas Gerais, e que os três grandes presídios da cidade, quando foram abertos, tinham justamente a proposta de ser APAC.

“Nós não temos incentivo nenhum para cuidar dessa gente, pelo contrário, até o lixo é a prefeitura que paga para recolher. A comunidade é contra, a prefeitura é contra e tenho certeza que a Câmara de vereadores também é contra”, destacou Guto Resende, também comentando que os presídios trouxeram grande caos para a cidade.

A prefeitura encaminhou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na última sexta-feira (18), um projeto de lei que proíbe a construção de APACs na cidade. Um reunião pública está marcada pra terça-feira (22), às 14h, no auditório do Centro de Educação Complementar de Igarapé – Ceci.