Sábado, 28/11/2020

Gerais

Dono de distribuidora fala sobre acusações de racismo

Após suposto caso de racismo ocorrido no último sábado (27), em um bar e distribuidora de bebidas no Centro de Igarapé, redes sociais ficaram repletas de compartilhamentos anti-racistas.

A história veio a tona após uma jovem relatar que seu pai não havia sido atendido no bar por ser negro. Ainda de acordo com relatos publicados nas redes sociais, a jovem disse que seus pais já teriam procurado à Polícia Civil para depoimentos e que o caso já está na Justiça.

O proprietário do bar, Silvano de Barbosa, em contato com a reportagem do Real Publicação, disse que não cometeu nenhum ato de racismo. Segundo ele, o homem tratou os funcionários com arrogância, usou palavras ofensivas contra as pessoas que trabalhavam na hora do ocorrido e ameaçou levar uma turma para quebrar o local. “Eu não estava no bar. Quando cheguei, a minha esposa me contou o que houve. Neste momento, eu me desloquei em direção ao homem para entender a situação. Ele me disse que meu funcionário não havia atendido ele bem. Após isso, ele me questionou se o funcionário não havia o tratado bem por causa da sua cor. Neste momento, a esposa dele se exautou e começou a me acusar dizendo que eu o havia chamado de preto e ameaçou quebrar o bar”, conta o proprietário do bar.

Ainda segundo Silvanio, em momento algum ele ofendeu o homem e que todos os seus clientes que frequentam o estabelecimento conhecem o seu carácter. “Todos sabem a minha índole. Sabem que eu não sou disso. Aqui nunca teve uma confusão. Ninguém usou racismo contra ele. Eu nunca diferenciei ninguém por cor de pele e nem nada. Afinal, eu preciso de todos os meus clientes. Eu não fiz isso”, relatou o proprietário da distribuidora.

A esposa de Silvanio, Heliena, que estava no estabelecimento no momento da confusão, contou o que aconteceu. “Eles chegaram e pediram uma cerveja para o nosso funcionário. Mas antes de levar o pedido deles, o nosso funcionário foi limpar uma mesa. A partir deste momento, a esposa desse homem começou a xinga-lo, perguntando o por quê do funcionário não ter levando o pedido deles. Que eles iriam chamar uma turma para quebrar tudo. Neste momento, eu pedi para que eles ficassem calmos, que o funcionário iria levar o pedido, mas que ele estava atendendo sozinho. Na sequência, eles começaram a me ofender com palavrões e, ainda quebraram dois garrafões de pinga”, conta a mulher.

Sobre as acusações, a mulher negou qualquer tipo de preconceito por parte do seu marido ou de qualquer pessoa do bar, e comentou sobre os vídeos feitos pela filha do homem nas redes sociais. “Ela está denegrindo a minha imagem, da minha família, do estabelecimento, dizendo coisas que a gente não falou. Não houve preconceito. Ninguém disse nada disso que ela está falando”, explicou Heliena.

2 Comments

  1. Avatar

    Michele

    Bom, não acredito que tenha acontecido dessa forma como essa moça coloca.
    Uma vez que os proprietários tem um lindo bebê, não colocariam em risco a vida dela.
    E fui com minha família, filha numa tarde de domingo, e fomos muito bem recebidos.
    Não vi nada de anormal com todos que estavam ali no bar .
    É inaceitável, pessoas que usam nos tempos de hoje o rascismo para degrada uma reputação de um pai de família.

  2. Avatar

    Anônimo

    Cada um conta sua versão… as testemunha que falem a verdade.

Deixe um comentário

RUA MIGUEL HENRIQUES DA SILVA, Nº4, CENTRO, IGARAPÉ-MG


CONTATO: (31) 9 9858-1002

error: Conteúdo protegido contra plágio!