Câmara de Igarapé sedia lançamento do Techdengue para 37 municípios nesta quarta (26)

0
489
Divulgação / Aero Engenharia

Nesta quarta-feira (26), às 9h, a Câmara Municipal de Igarapé sedia o lançamento do Techdengue (techdengue.comna regional Belo Horizonte. Na oportunidade estarão presentes 14 secretários municipais, 24 coordenadores de vigilância, 21 supervisores de campo, entre outros participantes. A expectativa é que o encontro reúna cerca de 80 pessoas, representantes de diversos municípios mineiros. O treinamento tem como objetivo preparar as cidades para receber a tecnologia de combate à dengue.

Realizado por meio da Instituição de Cooperação Intermunicipal do Médio Paraopeba (ICISMEP), o objetivo do encontro é dar início às atividades relacionadas à Resolução 9035/23 SES-MG, que garante recursos aos municípios até dezembro de 2025 e visa fortalecer o combate ao Aedes aegypti por meio do uso de drones. O investimento do Governo de Minas, no valor de R$30,5 milhões anuais, permite que municípios e consórcios intermunicipais de saúde contratem empresas especializadas nesse tipo de operação.

Os municípios participantes do encontro são: Belo Vale, Betim, Bonfim, Brumadinho, Caeté, Confins, Contagem, Crucilândia, Esmeraldas, Florestal, Ibirité, Igarapé, Itabirito, Jaboticatubas, Juatuba, Lagoa Santa, Mariana, Mário Campos, Mateus Leme, Matozinhos, Nova Lima, Nova União, Ouro Preto, Pedro Leopoldo, Piedade dos Gerais, Raposos, Ribeirão das Neves, Rio Acima, Rio Manso, Sabará, Santa Luzia, Santana do Riacho, São Joaquim de Bicas, São José da Lapa, Sarzedo, Taquaraçu de Minas e Vespasiano.

Uso de drones no combate à dengue

Os drones são utilizados para mapear áreas de risco e aplicar larvicidas biológicos em focos de difícil acesso, complementando o trabalho das equipes de zoonoses. O diretor de operações da Aero Engenharia, Renato Mafra, enfatiza a necessidade de novas estratégias no combate ao Aedes aegypti. “O Techdengue é a maior solução do Brasil para tratamento e profilaxia de forma completamente remota, utilizando drones acoplados por dispensers. Esses dispositivos têm a capacidade de tratar quase um ponto de possível reprodução do mosquito por minuto, o que permite alcançar áreas de difícil acesso para os agentes de endemias e aumentar a eficácia do processo. Os drones, equipados com tecnologia exclusiva e patenteada, conseguem dispersar larvicida em locais de risco, alcançando um índice de assertividade superior a 95%”, destaca.