Com sistema de saúde sobrecarregado, população deve ficar atenta aos riscos do Aedes aegypti

0
70
Neste ano, 13 casos de dengue foram notificados em Igarapé. População deve evitar acumular água parada. Foto: Marcos Teixeira de Freitas/Visualhunt/Banco de Imagens)

Com a pandemia da Covid-19, e o consequente sistema de saúde sobrecarregado, a população deve ficar atenta às doenças causadas pelo Aedes aegypti. A principal atitude para evitar a dengue, zika e chikungunya é a eliminação de qualquer ambiente potencial para a procriação do mosquito.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o estado vivenciou quatro epidemias de dengue, nos anos de 2010, 2013, 2016 e 2019. Em 2019, foram notificados 474 mil casos prováveis e 188 óbitos por dengue. Já em 2020 foram 84.636 casos prováveis e 13 mortes por dengue.

Dengue em Igarapé

Em 2020, Igarapé notificou 132 casos de dengue, destes, quatro foram confirmados. Até essa quarta-feira (3), 13 casos foram notificados, mas nenhum confirmado até o momento.

Segundo a prefeitura, estão sendo realizadas ações preventivas pela cidade, como mutirões de limpeza, tratamento focal para eliminar larvas do mosquito, bloqueio de transmissão com máquinas de fumacê e educação em saúde orientando a população nos cuidados a serem tomados, além da campanhas de conscientização.