Betim entá em alerta contra a Dengue, Zika e Chikungunya

0
115
Levantamento da prefeitura identificou que os focos do mosquito são encontrados principalmente nas residências.

Com a chegada do período chuvoso, a Prefeitura de Betim está reforçando as ações de controle e combate ao mosquito Aedes aegypti e às doenças transmitidas por ele: dengue, zika e chikungunya. No mês de janeiro, foi finalizado o primeiro Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) de 2020. A pesquisa foi realizada entre os dias 6 e 17 de janeiro pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses e Endemias (CCZE), que visitou mais de 8 mil imóveis em todas as regionais da cidade. De acordo com os resultados, Betim está em situação de alerta. A média do Índice de Infestação Predial (IIP) no município foi de 3,1%, ou seja, a cada 1.000 imóveis, 31 estão infestados com o Aedes aegypti.

O levantamento identificou que os focos do mosquito são encontrados principalmente nas residências. E os tipos de reservatórios onde mais foram achadas larvas do mosquito foram pratos e vasos de plantas, bebedouros de animais, pequenos reservatórios, tampinhas, garrafas, latas e depósitos ao nível do solo para consumo doméstico, como barril, tambor, cisterna. A média de criadouros pesquisados com presença de larvas do mosquito foi de 3,6%, ou seja, a cada 1.000 depósitos de água, 36 continham a presença do inseto.

As regionais que apresentaram maior índice de infestação, acima de 4%, e estão em risco de epidemia são Norte, Vianópolis, Petrovale, Citrolândia e parte do PTB. Somente alguns bairros das regionais Centro e Imbiruçu apresentam incide satisfatório, com IIP menor que 1%.

Os resultados do LIRAa vão ajudar gestores e técnicos do Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Dengue a traçar ações e intensificar o trabalho que já vem sendo realizado, desde de 2019, de controle e combate ao mosquito, evitando uma nova epidemia de dengue e as outras doenças transmitidas pelo mosquito: Zika e Chikungunya.

As áreas de maior risco para a ocorrência de epidemias, ou seja, com maior índice de infestação, receberão ações de bloqueio para eliminação dos focos. Será mantida também a frequência de visitas de Agentes de Combates a Endemias (ACE) para monitoramento e eliminação dos criadouros de larvas do mosquito nas residências, além das ações educativas para orientação da população. Os mutirões de conscientização, coleta de inservíveis e limpeza de áreas de descarte irregular também continuaram a ser realizados nas regionais da cidade.

Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Dengue

Desde o início de setembro de 2019, o Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Dengue de Betim vem intensificando atividades contra o mosquito Aedes aegypti, antecipando o período chuvoso e buscando evitar uma nova epidemia de dengue.

Foram realizadas diversas ações conjuntas em todas as regionais de Betim como mutirões de limpeza para a retirada de entulhos, limpeza de canais e avenidas sanitárias, fiscalização de pontos de descarte irregular de lixo, distribuição de novos ecopontos e intensificação do trabalho dos Agentes de Combate a Endemias nas residências. Além do trabalho de educação em saúde, com a entrega e materiais educativos nas residências e em diversos pontos da cidade e orientação da população sobre o controle do mosquito e cuidados para evitar as doenças.

Formado em fevereiro de 2019, o comitê tem a coordenação da Superintendência de Defesa Civil e é composto por representantes das secretarias municipais de Governo, Saúde, Educação, Gabinete, Comunicação, Segurança Pública, Administração, Meio Ambiente, Ouvidoria; das Gerências Regionais; da Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transportes e Trânsito de Betim (ECOS); e outros órgãos municipais. 

As arboviroses: dengue, a Zika, a Chikungunya

As arboviroses são doenças transmitidas por picadas de insetos, principalmente mosquitos. A dengue, a Zika, a Chikungunya e a febre amarela são arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti.

Em 2019, o município de Betim enfrentou uma grande epidemia de dengue. De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, ligada à Secretaria Municipal de Saúde, de janeiro até dezembro, foram notificados, 51.341 casos suspeitos da doença. Desses, 42.989 casos foram confirmados e 18 óbitos registrados. As regionais com maior taxa de incidência de casos de dengue foram Norte, Icaivera, Teresópolis, Alterosas e PTB.

Em 2020, já foram registradas 45 notificações de dengue e 3 casos confirmados da doença.

Ainda segundo a Vigilância Epidemiológica, em 2019, foram notificados no município 189 casos suspeitos de Zika e 69 de Chikungunya.

Para este ano, há a previsão do aumento de casos de Zika e Chikungunya em Betim, uma vez que foi observado o aumento da circulação dos vírus no nordeste do país e no estado do Rio de Janeiro, que registraram mortes por Zika em 2019. Além da possibilidade de novos casos de dengue, por causa da circulação de outros subtipos do vírus na região metropolitana de BH.

De acordo com os resultados do LIRAa de janeiro de 2020, Betim se encontra em situação de alerta para a infestação do mosquito Aedes aegypti, e, consequentemente,  para o surgimento  de  casos das doenças.

RESULTADO DO LIRAa POR REGIONAL
Regional Bairros Índice de infestação
Regional Petrovale Todos os bairros Risco de Epidemia
Regional Norte Todos os bairros Risco de Epidemia
Regional Vianópolis Todos os bairros Risco de Epidemia
Regional Citrolândia Todos os bairros Risco de Epidemia
Regional PTB   Campos Eliseos, Cruzeiro (PTB), Vila Kennedy e Vila Verde Risco de Epidemia
Guanabara, Paulo Camilo e Santa Cruz Situação de alerta
Regional Teresópolis Todos os bairros Situação de alerta
Regional Icaivera Todos os bairros Situação de alerta
Regional Alterosas Todos os bairros Situação de alerta
Regional Imbiruçu Capelinha, Granja Verde, Imbiruçu, Vila Universal, Jardim Perla, Laranjeiras, Industrial São Luiz, São Caetano e São Cristóvão Situação de alerta
Conjunto Celso Pedrosa, Jardim Santa Cruz, Nova Badem, Parque das Acácias, Recreio dos Caiçaras, Vila Cristina e Vila Inconfidência Situação Satisfatória
Regional Centro Angola, Santa Fé, Brasiléia, Cachoeira, Decamão, Guarujá, Morada do Trevo, Novo Guarujá, Parque Fernão Dias, Pedreira, Pingo d´Água, Salomé, Santa Inês, Arquipélago Verde, Boa Vista, Chacaras Reunidas Arapuã, Chacaras Reunidas Guaraciaba, Cidade Verde, Jardim Primavera, Jardim Casa Branca, Jardim Petrópolis, Marajoara, Monte Líbano, Riviera e São João Situação de alerta
Centro, Filadélfia, Granja Pouso Alto, Nossa Senhora do Carmo, Olhos d’ Água, Parque das Indústrias, Vila Boa Esperança, Vila Castanheira, Vila Recreio, Vila Triângulo, Ingá Alto e Jardim da Cidade Situação Satisfatória