segunda-feira, agosto 2, 2021
InícioPolíticaVereadores falam sobre contenção de gastos em Igarapé

Vereadores falam sobre contenção de gastos em Igarapé

       Câmara aponta que prefeitura ultrapassou os limites da  Lei de Responsabilidade Fiscal

No dia 12 de setembro, a Prefeitura de Igarapé publicou no Diário Oficial do Município o Decreto nº 2.189, que determina medidas de contenção de despesas públicas. Os vereadores, que dentre suas funções têm a responsabilidade de fiscalizar e contribuir para o equilíbrio das contas públicas, foram questionados sobre as ações desenvolvidas para evitar a atual situação de contenção de gastos no município.  

Em uma resposta conjunta, por meio de nota, os representantes do legislativo disseram que acreditam “que o principal papel do vereador é o de fiscalizar e, nesse sentido, temos apresentado requerimentos cobrando informações e também apresentado projetos de lei que reforcem a transparência”.

As medidas apontadas pela Câmara Municipal de Igarapé (CMI) como contribuintes para o equilíbrio financeiro do município foram: fiscalização sobre provimento de cargo público, admissão ou contratação de pessoal; despesas com horas extras, diárias, cursos e afins; despesas com símbolos de Governo; transparência do Poder Legislativo e requerimentos de informações sobre gastos e indicações.

A atual gestão da CMI também ressaltou que “vale a pena contextualizar que a Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece limites para gastos com pagamento de pessoal tanto para o Poder Executivo, como para o Poder Legislativo. Esses limites são monitorados por meio dos relatórios que são publicados semestralmente. Já no último semestre de 2017, ficou constatado que o Poder Executivo havia ultrapassado o limite prudencial (que equivale a 95% do limite máximo). O Art. 22 da Lei de Responsabilidade Fiscal impõe diversas proibições, quando essa situação de gastos acima dos limites ocorre”.

Também foi considerado pelos vereadores que o Governo Estadual e Federal estão atrasando os repasse de valores que pertencem à Igarapé. Neste caso, foi enviada uma indicação ao Poder Executivo sugerindo que a prefeitura colocasse em seu site, em tempo real, informações sobre quanto estava a dívida do governador de Minas Gerais e do presidente da República com Igarapé, seguindo o exemplo do “impostômetro”, sistema que existe em São Paulo referente à carga tributária de nosso país.

A Câmara Municipal destacou que, apesar de o Poder Executivo estar em atraso com a publicação de alguns relatórios, é possível acompanhar diariamente a situação de adimplência de Igarapé, no sistema do Governo Feral chamado CAUC. “Nós temos feito consultas diárias para saber a situação do município sem dependermos de informações fornecidas pela prefeitura. Quem tiver interesse de acompanhar também, o link é:  https://sti.tesouro.gov.br/cauc/index.jsf”.

 

Artigos Relacionados
Publicidade

Mais Recentes

error: Conteúdo protegido contra plágio!